Sitio

Blog

Project Palssen - ERASMUS+

Project Palssen - ERASMUS+

Projeto de construção e aferição internacional de instrumentos de monitorização e avaliação de cursos profissionais para a melhoria das práticas formativas de aluno com necessidades especiais de educação e formação. Neste estudo estão envolvidos colegas representantes do CFAE Centro Oeste, do AE Fernão do Pó - Bombarral e AE Rafael Bordalo Pinheiro das Caldas da Rainha. 

ACD - O Projeto de Monitorização, Acompanhamento, Investigação em Avaliação Pedagógica (MAIA) - para uma melhoria das práticas de avaliação das aprendizagens

ACD - O Projeto de Monitorização, Acompanhamento, Investigação em Avaliação Pedagógica (MAIA) - para uma melhoria das práticas de avaliação das aprendizagens

Partilha das apresentações dos Agrupamentos de Escolas da área dos CFAE Centro Oeste e CFAE Alcobaça e Nazaré na ACD MAIA dos dias 22 e 28 de novembro de 2022.

https://view.genial.ly/638490c75a491500196d602c

Desenho de um sistema de monitorização da implementação do regime jurídico da educação inclusiva em Portugal

Desenho de um sistema de monitorização da implementação do regime jurídico da educação inclusiva em Portugal

Desenho de um sistema de monitorização elaborado pela European Agency for Special Needs and Inclusive Education sobre a implementação do regime jurídico da educação inclusiva em Portugal (relatório em anexo)

 

Viagem com "O cavaleiro da Dinamarca" e "Biodiversidade" - Exemplo de DACs

Viagem com "O cavaleiro da Dinamarca" e "Biodiversidade" - Exemplo de DACs

Partilha de práticas de referência em Agrupamentos de Escolas da área do CFAE Centro-Oeste, no âmbito da Autonomia e Flexibilidade Curricular - Agrupamento de Escolas do Cadaval - Filmes DGE - 2021/2022.

https://www.youtube.com/watch?v=EJ5UbxiNluI

Aprender fora da sala de aula - AFC - Projetos

Aprender fora da sala de aula - AFC - Projetos

Partilha de práticas de referência em Agrupamentos de Escolas da área do CFAE Centro-Oeste, no âmbito da Autonomia de Flexibilidade Curricular - Atouguia de Baleia. Filmes DGE - ano letivo de 2021/2022.

https://www.youtube.com/watch?v=TjiRHAtKr_E

Despacho n.º 6605-A/2021 de 6 julho

Despacho n.º 6605-A/2021 de 6 julho
Procede à definição dos referenciais curriculares das várias dimensões do desenvolvimento curricular, incluindo a avaliação externa.
Assim, constituem-se como referenciais, os seguintes documentos curriculares:
a) O Perfil dos Alunos à Saída da Escolaridade Obrigatória, homologado através do Despacho n.º 6478/2017, de 9 de julho;
b) As Aprendizagens Essenciais, homologadas através dos Despachos n.os 6944 -A/2018, de 18 de julho, 8476 -A/2018, de 31 de agosto, 7414/2020, de 17 de julho, e 7415/2020, de 17 de julho;
c) A Estratégia Nacional de Educação para a Cidadania;
d) Os perfis profissionais/referenciais de competência, quando aplicável

Decreto Lei n.º 55/2018, 6 de julho

Decreto Lei n.º 55/2018, 6 de julho

O presente Decreto-lei estabelece o currículo dos ensinos básico e secundário, os princípios orientadores da sua conceção, operacionalização e avaliação das aprendizagens, de modo a garantir que todos os alunos adquiram os conhecimentos e desenvolvam as capacidades e atitudes que contribuem para alcançar as competências previstas no Perfil dos Alunos à Saída da Escolaridade Obrigatória

Perfil do aluno à saída da escolaridade obrigatória

Perfil do aluno à saída da escolaridade obrigatória

O Perfil dos Alunos à Saída da Escolaridade Obrigatória (PASEO), homolegado pelo Despacho n.º 6478/2017, 26 dejulho, afirma-se como o referencial para as decisões a adotar por decisores e atores educativos ao nível dos estabelecimentos de educação e ensino e dos organismos responsáveis pelas politicas educativas, constituindo-se como a matriz comum para todas as escolas e ofertas educativas no âmbito da escolaridade obrigatória, designadamente ao nível curricular, no planeamento, na realização e na avaliação interna e externa do ensino e da aprendizagem. (2017)

FORMAÇÕES PREVISTAS (2.ª fase 2019)

FORMAÇÕES PREVISTAS (2.ª fase 2019)

Início: outubro/novembro/dezembro

Fase de inscrições: de 23 a 31 de outubro, com incrições limitadas ao numero de vagas

Quadro Resumo

 

Nome

Modalidade

Duração

Calendarização

Local

Destinatários

Formador

Práticas de gestão e diferenciação pedagógica para uma escola inclusiva

Oficina de Formação

15+15 horas

27-11-2019

04-12-2019
08-01-2020
29-01-2020

05-02-2020 (19:00-22:00)

Professores dos Ensinos Básico e Secundário e Professores de Educação Especial

Carlos Simões

Mentor: Tutorias Autorregulatórias

Curso de Formação

e-learning

25 horas

05; 12; 19; 26 de novembro
03; 10 de dezembro
07; 14 janeiro 2020

 CFAE

e-learning

Educadores de Infância e Professores dos Ensinos Básico e Secundário

*por indicação dos Diretores dos AE

Dina Nogueira

Supervisão, e Avaliação de Docentes: da Teoria à prática

Curso de Formação

15 horas

Início a 30-10-2019, das 14:30h às 17:30h.

6 e 13 de novembro e a ultima sessão a agendar.

Educadores de Infância e Professores dos Ensinos Básico e Secundário

*Avaliadores Externos

Maria João Mogarro

Domínios de Autonomia Curricular: planificação, conceção, avaliação

Oficina de Formação

15 +15 horas

6, 13, 20 de novembro e 4 e 11 de dezembro

Agrupamento de Escolas D. João II

Professores dos Ensinos Básico e Secundário e Professores de Educação Especial

*Agrupamento de Escolas D. João II

Dora de Jesus

Construção e Aplicação de Recursos Didáticos Digitais no ensino e aprendizagem da História e da Geografia

Oficina de Formação

25+25 horas


07; 14; 21;28 novembro

05, 12 e 19 de dezembro

Agrupamento de Escolas Atouguia da Baleia

Professores dos Grupos 200, 400, 420

Dimensão Científico-Pedagógica

Ana Batalha

Construir recursos educativos de suporte à avaliação formativa

Oficina de Formação

12,5+12,5 horas

20 de novembro

Restantes sessões a agendar

Professores dos Ensinos Básico e Secundário

Cristina Santos

XIII Congresso Nacional de CFAE

XIII Congresso Nacional de CFAE

Abertura de inscrições para o XIII Congresso Nacional de CFAE, Mangualde

XIII Congresso Nacional de CFAE irá realizar-se nos dias 14 e 15 de outubro de 2016 em Mangualde, numa organização dos CFAE da Região Centro. Sob o lema "Formação Contínua - pensar o presente, perspetivar o futuro”, tem como principais objetivos:
- Conhecer a realidade da formação contínua de professores na Europa;
- Refletir sobre o contexto da formação contínua de professores em Portugal;
- Analisar os procedimentos dos CFAE, no sentido do aperfeiçoamento das suas práticas;
- Contribuir para a afirmação dos CFAE no processo de melhoria da qualidade das aprendizagens.
Este Congresso Nacional, organizado após a publicação de relevante legislação sobre a formação contínua e o funcionamento dos CFAE, adota um modelo de simbiose entre momentos de plenário e de workshop. O cronograma, diferente do habitual, facilita a deslocação dos congressistas provenientes de diferentes pontos do país. 
São destinatários deste evento: Diretores de CFAE e Diretores de Escola/Agrupamento; elementos da Secção de Formação e Monitorização das Comissões Pedagógicas; Consultores e Assessores de CFAE; Formadores; Docentes e ainda elementos de entidades/instituições que colaboram com os CFAE.
A participação de conferencistas de reconhecido mérito nacional e internacional reforça a importância deste evento para o desenvolvimento pessoal e profissional dos participantes. De referir ainda que contamos com a presença de Sari Lantto, Diretora de uma escola secundária do Norte da Finlândia, distinguida pela Apple em 2015 (Apple Distinguished Educator).  Cartaz --» 
Mais informações e inscrições: www.cfaesdocentro.org/xiiicongresso 

Tutores de Energia nas Escolas

Tutores de Energia nas Escolas

 

A OesteSustentável – Agência Regional de Energia e Ambiente do Oeste, foi convidada pela ADENE – Agência para a Energia no sentido de contar com a participação de 27 Escolas da região Oeste no projeto “Tutores de Energia nas Escolas”, que tem como objetivo principal a realização de 27 ações de sensibilização, intituladas por “A Agência vai à Escola” junto da comunidade escolar, destinadas a professores, funcionários e alunos do 1.º, 2.º, 3.º ciclos e ensino secundário, tendo como objeto a sensibilização para a utilização racional de energia e adoção de práticas comportamentais sustentáveis.

A iniciativa “A Agência vai à Escola” visa criar um dia específico para a temática da eficiência energética e utilização racional de energia, permitindo a presença, em cada escola do agrupamento, durante um dia, dos técnicos da OesteSustentável, desenvolvendo-se através de um uma ação de sensibilização em sala de aula (turma a turma) ou em auditório (várias turmas), e ainda com professores e funcionários em pequenas reuniões bilaterais sobre metodologias de poupança energética em contexto escolar.

Para além destas ações de sensibilização em formato de apresentação de conteúdos gráficos (vídeos e slides) e de exercícios pedagógicos (no quadro), com a duração de cerca de 15/20min em sala de aula e cerca de 45min/1hora em auditório, a OesteSustentável irá distribuir flyers, etiquetas e marcadores de livros durante as ações. Pretendendo que haja um envolvimento e apoio das Associações de Estudantes e/ou delegados de turma. Estes materiais contêm pequenas dicas de eficiência energética que poderão ser colocados na sala de aula, por exemplo, junto aos interruptores da iluminação.

Relembramos também que numa fase inicial, nomeadamente durante o presente mês de setembro, foram capacitados 15 professores dos vários Agrupamentos Escolares da região Oeste, a convite do CFAE-Centro Oeste, no sentido de criar a figura do “Tutor de Energia na Escola”.

Os “Tutores de Energia nas Escolas” é uma medida no âmbito do Plano de Promoção e Eficiência no Consumo de Energia Elétrica 2013-2014, promovido pela ERSE - Entidade Reguladora dos Serviços Energéticos, promovido pela ADENEtendo a estreita colaboração da OesteSustentável na região Oeste.

Para efeitos cronológicos apresenta-se de seguida as ações a desenvolver:

1.     Lançamento do projeto

  • ·Até ao final de setembro 2016:

o    Divulgação do projeto junto das escolas;

o    Inscrição das escolas;

  • ·Primeira semana de outubro 2016

o    Análise, seleção e aceitação de candidaturas de 27 turmas/escolas (1ºciclo; 2º ciclo e 3º ciclo ; ensino secundário e/ou profissional), criteriosamente selecionadas pela distribuição territorial, preferencialmente pelo menos 1 Escola por cada município da região Oeste (12 municípios), atendendo à data de inscrição;

o    Agendamento das ações nas datas disponíveis.

2.     Implementação do Projeto

  • ·Meses de outubro, novembro e dezembro 2016

o    Visita às 27 turmas/escolas de acordo com mapa de agendamentos;

o    Realização das ações de sensibilização.

Assim, gostaríamos de convidar a V/ escola a inscrever-se nesta ação lúdico-pedagógica, sendo que para o efeito terá que efetuar a inscrição até ao dia 30 de setembro de 2016, próxima sexta-feira, através do preenchimento do seguinte formulário: http://bit.ly/tutoresenergiaescolas

Oferta Formativa | Encerramento do Ano letivo 2015/2016


Informamos todos os docentes interessados que se encontram abertas as inscrições para as ações de formação certificadass pelo Conselho Científico da Formação Contínua.
As inscrições estão sujeitas ao nº de vagas atribuídas para cada uma, respeitando-se, como critério de seleção a conformidade dos destinatários e a ordem de inscrição.

 

01 | Designação da ação de formação:
“A Saúde Escolar na Promoção do Sucesso Educativo”


Registo CCPFC/ACC-86670/16 - Modalidade: Curso de Formação – 25 horas de Formação Presencial
Calendarização e Local: Dias 11, 12 e 13 de julho – Escola Secundária Rafael Bordalo Pinheiro – Caldas da Rainha
Destinatários: Educadores de Infância; Docentes do Ensino Básico e Secundário (todos os Grupos disciplinares); Docentes de Educação Especial.
Programa: Conferências; Workshops; Partilha de Boas Práticas.
Programa e Inscrições em:
http://www.cfaecentro-oeste.pt/index.php/pt/component/rseventspro/acontecimento/385-16nf2016-a-saude-escolar-na-promocao-do-sucesso-educativo

 

02 | Designação da ação de formação:
“Estudo do Meio: Património Natural e Património Cultural”


Registo CCPFC/ACC-85616/16 – Modalidade: Curso de Formação – 25 horas Formação Presencial.
Calendarização e Local: 04, 05, 06 e 08 de julho | Caldas da Rainha; Atouguia da Baleia e Bombarral.
Destinatários: Professores dos ensinos Básico e Secundário
Programa: Conferências, Visitas de Estudo e Trabalho de Campo.
Programa e Inscrições em:
http://www.cfaecentro-oeste.pt/index.php/pt/component/rseventspro/acontecimento/387-18nf2016-estudo-do-meio-patrimonio-natural-e-patrimonio-cultural

 

03 | Designação da ação de formação:
“Coleções de cerâmica caldense”


Registo de Acreditação: CCPFC/ACC-87097/16 – Modalidade: Curso de Formação; 25 horas de Formação Presencial.
Calendarização: Dias 4, 5, 6, 7 e 8 de julho.
Destinatários: Educadores de Infância e Professores dos Ensinos Básico e Secundário.
Programa: Conferências e Visitas de Estudos-Trabalho de Campo.
Programa e Inscrições em:
http://www.cfaecentro-oeste.pt/index.php/pt/component/rseventspro/acontecimento/388-19nf2016-colecoes-de-ceramica-caldense

Vamos inovar!

 

 

Número da Ação

01CO2016

Registo de acreditação

Modalidade: Sessões abertas

 

Duração e Créditos

Horas Presenciais: 2 horas

Horas de Trabalho Autónomo: 0 Horas

Total de Créditos: 0 Créditos

Formadores responsáveis

Carla Susana C. de Jesus

 

Destinatários

Destinatários de acordo com o artigo 5º, do Regime Jurídico da Formação Continua de Professores:  Educadores de Infância e Professores dos Ensinos Básico e Secundário

Nº de Formandos:

Mínimo: 05 - Máximo: 16

Critérios de seleção

 

1.Docentes em exercício de funções na área de intervenção do CFAE, por ordem de Inscrição

 

 

Conteúdos

 

 Orientação a qualquer professor que pretenda iniciar/alargar a utilização das tecnologias na sua prática letiva, com vista à melhoria dos resultados escolares e ao desenvolvimento das competências do século XXI por parte dos seus alunos. Um professor pode, individualmente ou em grupo, trazer questões relacionadas com programas informáticos que já use ou que pretenda vir a usar na preparação das aulas, na avaliação dos alunos ou na elaboração de atividades de aprendizagem. 

 

Avaliação dos formandos

Sem avaliação

Calendarização/

Horário

A divulgar

Local de realização

Escola Secundária Rafael Bordalo PInheiro

Sala:

Laboratório de Ciência Viva Digital de Caldas da Rainha

 

Efectuar Inscrição

Deverá estar autenticado para ter acesso ao formulário.

Formação ao ao abrigo do Despacho n.º 5741/2015

Ao iniciar o ano letivo de 2015|16 desejamos a todos os nossos associados, colaboradores,  amigos e parceiros institucionais, os melhores votos de um Excelente novo Ano Letivo.

 

Iniciamos o ano com um conjunto de eventos formativos, certificados e acreditados ao abrigo do Despacho n.º 5741/2015

 

 

 

 

Workshop: Tecnologias e ambientes interativos na Sala de Aula do Futuro: partilha de boas práticas

3 de setembro 2015 – Atouguia da Baleia

(organizado pelo AE de Atouguia da Baleia e pelo CFAE)

 

 1.as Jornadas Psicopedagógicas do concelho do Cadaval, sobre "Gestão de Conflitos",   organização conjunta da Câmara Municipal do Cadaval, do Agrupamento de Escolas do Cadaval e do  CFAE Centro-Oeste
 Dia 03 de setembro no Auditório dos Bombeiros Voluntários do Cadaval

Dotação máxima de referência do pessoal não docente nas escolas

Definição dos critérios e a respetiva fórmula de cálculo para a determinação da dotação máxima de referência do pessoal não docente, por agrupamento de escolas ou escola não agrupada.

https://dre.pt/application/conteudo/281852

 

A nossa homenagem aos 130 anos da Escola Rafael Bordalo Pinheiro

A nossa homenagem aos 130 anos da Escola Rafael Bordalo Pinheiro

A nossa homenagem aos 130 anos da Escola Rafael Bordalo Pinheiro.
Para a construção da nossa memória futura comum.
Em 1992, por ação direta do Professor Luís Sá Lopes e da Professora Fernanda Tonelo, a Escola Secundária Rafael Bordalo Pinheiro acolheu o nosso CFAE, passando, a partir de então, a partilhar o mesmo espaço, os seus recursos e parte da sua cultura organizacional.
Hoje, com a nossa Missão e área de abrangência alargadas, podemos dizer que também nós fazemos parte da sua História, a nossa História.
Eis a nossa homenagem, constituída por uma imagem(Arquivo Património Museológico da Educação), referente ao projeto de arquitectura dos anos 50 do século passado, e um pequeno texto que descreve a linha do seu riquissimo percurso histórico-cronológico.Parabéns.

ESRBP Edificio Inicial

História
"Remonta a 1853 o interesse em dotar Caldas da Rainha com uma escola de desenho industrial vocacionada para a cerâmica e decoração, mas essa intenção só foi formalizada em 1884 através de um diploma de António Augusto de Aguiar que criava, no país, várias escolas de desenho industrial. A Escola de Desenho Industrial Rainha Dona Leonor, designação que lhe foi dada, entrou em funcionamento em 7 de Janeiro de 1885, na sala de um edifício situado na Rua do Hospício. 
Sendo finalidade destas escolas criar trabalhadores com formação técnica e profissional, em Caldas da Rainha foram implementados o curso de desenho elementar para alunos entre os 6 e 12 anos e o curso de desenho industrial para alunos com mais de 12 anos.
Mas o processo efectivo da ligação da indústria da cerâmica ao ensino data do ano 1887/88, através de um protocolo entre a Escola e a Fábrica de Faianças de Rafael Bordalo Pinheiro de que resulta a primeira experiência de ensino integrado - o Governo subsidiava a fábrica, competindo a esta ministrar o ensino da cerâmica aos alunos da escola, que, depois de uma aprendizagem de 6 meses, passariam a ser remunerados conforme as suas aptidões. Este protocolo permitiu que a percentagem de alunos inscritos na Escola subisse significativamente até 1891, ano de crise económica, em que é declarada falência da fábrica. Esse facto e a reorganização do ensino industrial, classificando as escolas em completas, incompletas e elementares, com a Escola a ser classificada na última categoria, teve consequências negativas ao nível das inscrições nos cursos ligados à cerâmica.
A implantação da República vai levar à criação em 1918 do Ministério da Instrução Pública que inicia uma reforma no ensino técnico. Daí resulta a transformação da Escola Rainha Dona Leonor em Escola de Artes e Ofícios e a criação , em 1919, de uma Aula Comercial (vocacionada para as áreas de comércio e contabilidade) que é, 3 anos depois, elevada a Escola Comercial. A junção das duas dá-se em 1924, com sede na Quinta do Lagarto, e sob a designação de Escola Industrial e Comercial Rafael Bordalo Pinheiro. Aí se ministram os cursos industriais de Cerâmica, Electricidade, Carpintaria, Serralharia e, exclusivamente feminino, Costura e Bordados, assim como o Curso Comercial, integrando cerca de 250 alunos.
Nova reforma, em 1936, sob a égide do Estado Novo, substituindo o Ministério da Instrução Pública pelo Ministério da Educação Nacional. No ano lectivo de 1946/47, a escola era frequentada por 461 alunos, 323 no Curso Comercial e 138 nos Cursos Industriais.
Pires de Lima, Ministro da Educação Nacional, desenvolve, através da Lei 2025 de Junho de 1947, uma reforma do ensino técnico que vai reflectir-se, em 1948, na mudança de instalações da Escola, na mudança de nome (passa a ser Escola Industrial e Comercial das Caldas da Rainha) e na definição dos cursos (Cursos Gerais de Comércio, de Electricidade, de Serralharia e de Formação Feminina, a que se junta o Ciclo Preparatório para o Ensino Técnico). Os alunos dos Cursos Gerais saíam habilitados para o mercado de trabalho mas, através da frequência de uma Secção Preparatória, podiam aceder aos Institutos Industrial e Comercial, podendo depois completar a sua formação nas Faculdades de Engenharia ou no Instituto de Ciências Económicas e Financeiras.
A partir daí a frequência da escola foi aumentando, contabilizando em 1962/63 cerca de mil alunos, 60 professores e 14 funcionários. Esse crescimento exigiu novas e melhores instalações, inauguradas com pompa e circunstância em 26 de Outubro de 1964.
Na nova Escola ministravam-se os cursos de Montador Electricista, Ceramista, Serralheiro, Carpinteiro-Marceneiro, Formação Feminina, Geral do Comércio, em regime diurno e nocturno, o Ciclo Preparatório para o Ensino Técnico e, ainda, as Secções Preparatórias para os Institutos Comercial e Industrial.
Com a Reforma Veiga Simão em 1973, a Escola passa a ministrar os Cursos Gerais de Administração e Comércio, de Electricidade, de Mecânica, de Cerâmica, de Formação Feminina, assim como os cursos Complementares de Contabilidade e Administração, de Electrotecnia e de Mecanotecnia, mantendo-se o Ciclo Preparatório que passará para instalações próprias em 1979. 
É nesse mesmo ano que a Escola retoma, por iniciativa do Dr. Calheiros Viegas, o nome do ilustre ceramista, assumindo a designação que ainda mantém de Escola Secundária Rafael Bordalo Pinheiro.
Aconteceu entretanto o 25 de Abril de 1974 e o ensino continua a sofrer transformações: a unificação do ensino até ao 9.º ano de escolaridade, a avaliação contínua, o serviço cívico, o ano propedêutico, a introdução do 12.º ano (1980), a criação de «numerus clausus» para ingresso no Ensino Superior, a criação dos cursos Técnico-Profissionais e Profissionais (1983). A publicação da Lei de Bases do Sistema Educativo, em 1986, e a reforma operada por Roberto Carneiro (1989) vêm garantir a escolaridade mínima obrigatória de 9 anos, acentuando a massificação do ensino iniciada por Veiga Simão. A Escola passa a ministrar não só cursos de carácter técnico profissionalizante, mas também outros de carácter geral e de preparação para o ingresso no Ensino Superior, tendo aumentado significativamente o número de alunos na escola durante esses anos, assim como de professores e funcionários..."
"Acresce a isso o facto de o Ensino Recorrente Nocturno (3.º Ciclo e Secundário - embora também o 2.º Ciclo, afecto à Escola D. João II, seja ministrado em instalações da escola), a partir do ano lectivo 1999/2000, se ter concentrado na Escola, o que originou um aumento da população escolar no Regime Nocturno (passou de 176 para 360 alunos)."
in, Arquivo Histórico do Ministério da Educação e Ciência.

NB-Património Histórico, Grupo de Estudos.

Comemorar os 130 anos da edificação das escolas a que está associado, Rafael Bordalo Pinheiro

O Agrupamento de Escolas Rafael Bordalo Pinheiro organiza, no decorrer do mês de janeiro, dois colóquios com o intuito de comemorar os 130 anos da edificação das escolas a que está associado, de forma indelével, Rafael Bordalo Pinheiro.

A Escola de Desenho de Caldas da Rainha/Escola Rainha D. Leonor iniciou as suas funções em janeiro de 1885, em edifício cedido para o efeito pela Câmara Municipal de Caldas da Rainha. Desde essa data e decorridos 130 anos, a completar em janeiro de 2015, a escola tem contribuído para a construção do saber de muitas gerações de jovens, bem como para o evidente desenvolvimento do comércio e indústria da região.(...)

Certos que com este evento honraremos o legado de Rafael Bordalo Pinheiro, indicamos o programa, aproveitando para apelar à participação e convidar todos, os que se quiserem associar ao Agrupamento de Escolas Rafael Bordalo Pinheiro, para os dois colóquios que se realizam no Auditório da Escola Sede.

A comissão organizadora

Créditos de tempos letivos a atribuir para o Programa de Desporto Escolar

Ministério da Educação e Ciência - Gabinete do Ministro

Determina o número de créditos de tempos letivos a atribuir para o Programa de Desporto Escolar no ano letivo de 2014-2015.

         https://dre.pt/pdf2sdip/2014/07/136000000/1846018461.pdf

Calendário de realização da prova de conhecimentos e capacidades

Altera o Despacho n.º 14293-A/2013 de 5 de novembro de 2013 que define o calendário de realização da prova de conhecimentos e capacidades, as condições de aprovação e os valores a pagar pela inscrição, consulta e pedido de reapreciação da mesma.

         https://dre.pt/pdf2sdip/2014/07/136000001/0000200002.pdf

Diretores de CFAE´s

Ministério da Educação e Ciência - Gabinete do Secretário de Estado do Ensino e da Administração Escolar

Determina que, a título transitório, os Diretores dos Centros de Formação de Associações de Escolas em exercício de funções e cujo mandato termine antes da publicação do novo decreto-lei que regulamentará o funcionamento dos Centros, permaneçam no exercício do cargo até à tomada de posse dos novos diretores.

Habilitações Profissionais para a docência

  • Despacho n.º 7028/2014. D.R. n.º 103, Série II de 2014-05-29

    Ministério da Educação e Ciência - Direção-Geral da Administração Escolar

    Reconhecimento da habilitação profissional para a docência aos diplomados dos cursos de pós-graduação em Ensino de Português e de Francês, Ensino de Português e de Inglês e Ensino de Português criados pelo despacho n.º 19 018/2002 (2.ª série), de 27 de agosto, alterado pelo despacho n.º 20 693/2003 (2.ª série), de 28 de outubro.

Abertura do concurso externo extraordinário-Pessoal Docente

  • Aviso n.º 6472-A/2014. D.R. n.º 101, Suplemento, Série II de 2014-05-27

    Ministério da Educação e Ciência - Direção-Geral da Administração Escolar

    Abertura do concurso externo extraordinário destinado à seleção e recrutamento de pessoal docente nos estabelecimentos públicos da educação pré-escolar e dos ensinos básico e secundário na dependência do Ministério da Educação e Ciência, com vista ao preenchimento das vagas previstas na Portaria n.º 113-A/2014, de 26 de maio, e dos concursos de mobilidade interna, de contratação inicial e reserva de recrutamento, para suprimento das necessidades temporárias, estruturadas em horários, completos ou incompletos, reguladas de acordo com o disposto nos artigos 25.º a 37.º, do Decreto-Lei n.º 132/2012, de 27 de junho, na redação que lhe foi conferida pelo Decreto-Lei n.º 83-A/2014, de 23 de maio.

Regime de autonomia, administração e gestão dos estabelecimentos públicos de educação pré-escolar e dos ensinos básico e secundário.

Ministério da Educação e Ciência - Gabinete do Ministro

Concretiza os princípios consagrados no regime de autonomia, administração e gestão dos estabelecimentos públicos de educação pré-escolar e dos ensinos básico e secundário, designadamente no que diz respeito à organização do ano letivo 2014-2015.

Habilitações para lecionar EMRC

Ministério da Educação e Ciência - Gabinete do Secretário de Estado do Ensino e da Administração Escolar

Define as regras para obtenção das habilitações profissionais para a docência da disciplina de Educação Moral e Religiosa Católica.

­